A adaptação à transformação digital pode ser um processo delicado em muitas empresas. Afinal, como se adequar aos novos desafios? Quais são os maiores obstáculos a serem enfrentados pelo caminho?

Nesse sentido, a gestão da mudança organizacional (GMO) desponta como uma verdadeira aliada para fazer com que as mudanças evoluam continuamente, ajudando as empresas a atingirem seus objetivos.

Pensando na relevância do tema, preparamos este artigo especial com todos os aspectos mais importantes sobre o assunto. Ao longo do texto, explicaremos como a GMO pode colaborar nos processos de mudança. Continue a leitura até o fim para saber mais!

O que é a gestão da mudança organizacional?

Para compreender o processo, é preciso entender o conceito de mudança. A palavra se relaciona com a transformação e a sua essência remete ao movimento, a transição e a descontinuidade.

Vale lembrar que a base das empresas é composta por pessoas que, frequentemente, também precisam se adaptar às constantes mudanças impostas pelo mercado. Essa adequação é um fator essencial para manter a competitividade e, consequentemente, para a sobrevivência das organizações e de seus profissionais.

Para realizar a conexão entre a mudança a ser realizada e o novo cotidiano das empresas, a gestão da mudança surge para agilizar as transformações e garantir uma melhor aceitação das pessoas, fazendo com que a iniciativa seja bem-sucedida.

Portanto, por meio de uma abordagem estruturada, a gestão da mudança apoia as organizações a saírem de seus estados atuais para suas situações futuras com ações que envolvem os aspectos humanos relacionados à mudança, contribuindo na transição e ajudando a percorrer o processo de transformação.

Como a Gestão de Mudanças funciona na prática?

Em linhas gerais, a gestão da mudança organizacional cumpre o importante papel de conciliar os interesses e as convicções das diferentes lideranças dentro de um projeto. O intuito é mostrar a elas que todas devem se unir em torno de um objetivo único.

Geralmente, o primeiro passo a ser dado é entender onde se quer chegar, quais são os objetivos e benefícios esperados e o que se espera das pessoas no novo contexto.

A partir daí, é preciso entender a cultura, mapear os envolvidos e planejar ações que possam apoiar as pessoas ao longo de todos os estágios da jornada de transformação, independentemente da posição que ocupam no projeto e/ou na companhia e até clientes e fornecedores, se necessário. É imprescindível dar o suporte para que os stakeholders consigam adotar e usar as novas implementações.

Como é a Gestão de Mudanças Ágil?

Fugindo de abordagens antigas, que não contemplam a velocidade atual, a gestão da mudança também precisou se adaptar e adotar os princípios ágeis no método que suporta suas atividades. Através de um framework bem estruturado, é capaz de ajudar os profissionais responsáveis por conduzir mudanças a manter o foco nas atividades mais importantes, determinadas pelo valor que proporcionam aos clientes e aos demais stakeholders.

Por contar com uma abordagem interativa, que considera o envolvimento e a participação de todas as pessoas que serão afetadas, o alinhamento, a cooperatividade e a transparência são primordiais em todas as etapas, bem como os feedbacks associados aos ciclos de entrega.

Assim, a mudança acontece com a entrega repetida de pequenas mudanças (iterações) que, quando integradas, geram o novo ambiente.

Nossa abordagem é enxuta, flexível e iterativa, tornando a mudança mais eficaz, focado no cliente e trazendo resultados melhores e mais rápidos.

Portanto, a gestão da mudança organizacional promovida pela Mooven com seu mindset ágil pode transformar a cultura da companhia. Afinal, diante de um mercado altamente competitivo, sua empresa deve contar com equipes motivadas e prontas para lidar com as novas tendências.

Se você gostou do conteúdo e quer conhecer melhor a Mooven, entre em contato conosco: nós podemos fazer a diferença!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *